Fortaleza -

TEMAS DAS CÉLULAS – MÊS DE OUTUBRO 2017

Este mês os temas estão muito interessantes.

falam especificamente sobre discipulado, serviço e honra.

Que Deus venha falar profundamente aos nossos corações.

 
TEMA: O NOVO ESTILO DE VIDA: DISCIPULADO

 

TEXTO: Atos 9:36

 

INTRODUÇÃO: O livro de Atos reúne narrativas de diversos acontecimentos que marcaram as primeiras décadas de existência da Igreja de Jesus. A ordem de fazer discípulos dada por Jesus antes de sua ascensão (Mt 28.19) era obedecida à risca. Dorcas era uma discípula. Todas as pessoas da Igreja de Jope também eram discípulos (v. 38). Assim, aprendemos no livro de Atos que o discipulado é um estilo de vida. Vamos identificar algumas das características da vida de um discípulo de Jesus.

 

1. O DISCIPULADO NOS LEVA A PRATICAR BOAS OBRAS
O texto bíblico nos informa que Tabita “se dedicava a praticar boas obras”(v. 36). Isto significa que a vida daquela discípula de Jesus era pautada por práticas muito semelhantes às que o próprio Jesus ensinou e praticou. Tabita não praticou algumas boas ações – as boas obras eram prática constante em sua vida. Um discípulo de Jesus vive para servir. Ele é alguém sempre pronto a agir em prol do engrandecimento do Nome de Jesus e também em benefício do seu próximo. Jesus declarou em João 14.12: Digo-lhes a verdade: Aquele que crê em mim fará também as obras que tenho realizado. Fará coisas ainda maiores… Ser discípulo significa reproduzir o exemplo de Jesus.
Tabita deve ter sido uma pessoa muito atuante. O texto cita as boas obras, as esmolas, vestidos e outras roupas feitas por ela e as viúvas da Igreja tendo um carinho todo especial por ela. Talvez a própria Tabita fosse uma viúva ou poderia ter um cuidado especial pelas viúvas da Igreja. De qualquer maneira, fica claro na narrativa que era o tipo de pessoa que faria muitíssima falta à Igreja. Todos choraram pela sua morte e sentiram muito sua falta.
Em 1896, nos EUA, um homem chamado Charles Sheldon, publicou um livro chamado Em seus passos o que faria Jesus? – que impactou as gerações de cristãos. A tese do livro é esta, que todo discípulo deve preocupar-se em seguir os passos, o exemplo, de Jesus.

 

2. O DISCIPULADO NOS LEVA A CRER EM MILAGRES
O texto bíblico, no v. 38, conta que os irmãos tomaram os cuidados devido com o corpo de Tabita mas ao invés de sepultá-lo, sabendo que o apóstolo Pedro estava em Lida, cidade próxima, resolveram mandar busca-lo imediatamente. Somente os discípulos de Jesus seriam capazes de tamanha ousadia. Eles decidiram buscar em Deus o milagre da ressurreição da discípula Tabita!
Quando Pedro chegou o verso 39 conta que várias outras discípulas rodearam Pedro e, chorando, mostraram a ele como aquela mulher que morrera era útil na Obra do Senhor. Os discípulos de Jope criam que Deus é poderoso para ressuscitar mortos. Deus é Todo-Poderoso! Pedro estava em Lida quando foi chamado a Jope. Naquela cidade foi usado por Deus para curar um homem paralítico, Enéias, que estava acamado havia oito anos (Atos 9.33). A Bíblia firma que Deus usou Pedro para curar Enéias em nome de Jesus Cristo. Era por este e tantos outros feitos em nome de Jesus que os discípulos criam em milagres.

 

3. O DISCIPULADO NOS COLOCA COMO INSTRUMENTOS DE DEUS
Discípulo é alguém que se consagra a Deus e permite que Ele o use para abençoar e salvar vidas. Antes do milagre, Pedro ajoelhou-se (em sinal de rendição total a Deus) e orou. Certamente, o apóstolo estava consultando a Deus, buscando Sua vontade e somente levantou-se quando teve a convicção de que Deus queria ressuscitar a discípula. Tanto no caso de Enéias como de Tabita, o resultado foi que muitas outras pessoas se converteram a Jesus. A oração é uma marca do discípulo. Para sermos usados por Deus precisamos estar rendidos a Ele e a oração é o mecanismo que nos leva a isto.

 

CONCLUSÃO: O discipulado é um estilo de vida em Jesus Cristo. Uma vida com propósitos, com serviço ao próximo e a Deus. O primeiro passo para tornar-se um discípulo é entregar sua vida a Jesus. Aproveite esta oportunidade e faça sua entrega.

 

 

 

#################################################################################################

 

 
TEMA: HONRA, UM DEVER DE TODO DISCÍPULO!

 

TEXTO: Mateus 17:1-5

 

INTRODUÇÃO: Honrar é um princípio bíblico, devemos dar honra a quem merece honra (Rm 13.7)! A primeira pessoa a quem devemos honrar é Deus, pois na verdade ele é dono de toda honra e toda a glória (Ap 4.11). Abaixo de Deus estão nossos pais e familiares, e também nossos líderes espirituais, os quais devemos muita honra, pois é através deles (pastores, discipuladores e líderes) que Deus fala conosco, nos ensinando a Palavra de Deus, nos discipulando, orando por nós, chorando e se alegrando conosco. É bem verdade que muitas pessoas tem pago um preço alto por desonrar sua liderança espiritual, a qual Deus constituiu para serem nossos tutores, seja com palavras ou com atitudes. Mas ainda existem pessoas como Pedro, que mesmo tendo suas falhas soube nesta passagem honrar o seu líder, Jesus, como também Moisés e Elias, figuras do Antigo Testamento, que não estavam presentes fisicamente nesta ocasião, mas em forma de visão. E nessa passagem, onde Jesus toma consigo os seus discípulos mais íntimos: Pedro, Tiago e João, vemos algumas lições de honra através da vida de Pedro.

 

1. A PREOCUPAÇÃO E SUBMISSÃO DE PEDRO
Enquanto Jesus falava com Moisés e Elias, Pedro, Tiago e João estavam somente ouvindo. Porém, Pedro não se contentou em apenas ouvir, mas desejou em seu coração fazer algo para o seu líder. Pedro desejou fazer três tabernáculos, que na verdade era uma espécie de cabana, para o descanso dos três (Jesus, Moisés e Elias). Pedro poderia fazer as cabanas sem o consentimento de Jesus, porém Pedro sabia da importância de pedir a permissão do seu líder para realizar algo, então, disse para Jesus “se queres…”. Ou seja, isso indicava a submissão de Pedro, ele só iria fazer se Jesus liberasse. Tudo que você quiser fazer para a obra de Deus, leve sempre em consideração a opinião do seu líder.
O desejo de honrar o seu líder era tão grande, que ele não se preocupou com ele mesmo e com os seus amigos João e Tiago, pois queria fazer apenas três cabanas: uma para Jesus, outra para Moisés e outra para Elias. Precisamos aprender com Pedro a sermos submissos e preocupados em honrar os nossos líderes, você não acha?

 

2. DEIXE SEU LÍDER FALAR!
A empolgação de Pedro foi tão grande em querer honrar a Jesus, que ele “tomou” a palavra de Jesus enquanto ele conversava com Moisés e Elias, e continuou a falar, e falar, e falar… Deus percebendo isso, desceu em uma nuvem luminosa cobrindo a todos que ali estavam, e disse: “Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo; escutai-o”. Em outras palavras, Deus queria que Pedro parasse de falar tanto, e ouvisse mais a Jesus, seu líder espiritual. Ouvir também é uma maneira de honrar! No nosso dia a dia nós ouvimos tanta gente, muitas vezes até mesmo damos ouvidos a fofocas, ouvidos a pessoas que não deveríamos ouvir, escutamos conselhos de tantas pessoas, mas na hora de ouvir a nossa liderança temos dificuldade. A partir de hoje ouça mais o seu pastor, seu discipulador, seu líder! Ele tem com certeza uma Palavra de Deus para lhe confortar, te orientar, e muitas vezes, quando necessário, para te corrigir, pois quem corrige ama! Você não acha que Pedro deveria ter ouvido mais a Jesus?

CONCLUSÃO: Este estudo não teve como objetivo colocar Jesus apenas como um simples líder, pois na verdade ele é o líder dos líderes, pastor dos pastores. Mas, Jesus é o melhor e maior exemplo de liderança que já existiu, e assim como os seus discípulos o honraram, também devemos honrar os nossos. Quando você honra a Deus e seus líderes, seja com palavras ou atitudes, você está fazendo 2 coisas além de honrar: semeando honra e ensinando honra aos demais próximos de você. E nesta ocasião Pedro fez as 3 coisas: honrou, semeou honra e ensinou honra para os seus amigos. A igreja é um exército de honra, e não uma corja de pessoas infiéis!

 

 

 

##################################################################################################

 

SENDO UM VERDADEIRO E FIEL DISCÍPULO DE CRISTO

 

TEXTO: João 6: 60-68

 

INTRODUÇÃO: Pense sobre o quão tentador que era deixar Cristo, depois de ouvi-lo continuamente revelar-se como sendo a natureza de Deus para o mundo. Pense sobre o quão difícil era para permanecer fiel a ele. No entanto, seus verdadeiros discípulos ficaram com ele mesmo quando os outros o deixaram. Vejamos alguns pontos-chave sobre como ser um verdadeiro discípulo de Cristo, e o que significa permanecer fiel através de dificuldade e sofrimento.

 

1. A vida que Jesus nos pede para viver nem sempre é agradável, não podemos fazer nada disso sem poder capacitador de Deus. Seus comandos podem ser difícil de seguir, às vezes. No entanto, Ele está com você onde quer que vá, e é imperativo ficar firme com ele. (João 8:28, Josué 1: 9)

 

2. Para ser um verdadeiro discípulo significa continuar firme na sua palavra, e não cair. Seus ensinamentos devem tornar-se uma influência permanente na sua vida. João 8:31
Isto não significa que você tem que provar que tem boa fé suficiente. Ele está dizendo que, se você continuar em Seus ensinamentos, então torna-se enraizado dentro de você, sua verdade, e você começa a tornar-se um discípulo verdadeiro e fiel de Cristo. É um processo. (Hebreus 5: 11-14)

 

3. O verdadeiro discípulo de Cristo deve colocá-lo acima daqueles mais próximos e queridos para você. Na verdade, acima de todas a coisas. Lucas 14:27

a. Jesus, nosso Senhor, falou de seu destino que leva a cruz. Como verdadeiros discípulos, devemos também ter uma cruz própria. Nossa cruz não deve ser confundida com a cruz do nosso Senhor. Ele carregou uma cruz por toda a humanidade; devemos tomar nossa cruz diariamente, e condenar à morte nossos desejos egoístas e ambições de nosso velho homem.

b. Discipulado é gratificante. As pessoas tendem a correr de discipulado porque acreditam que eles não têm nada a contribuir, e também, que as recompensas serão poucas. A base para nossas recompensas é definido em Mateus 10: 40-42. – A nossa grande recompensa é o próprio Jesus. (Hb 11:16, Gênesis 15: 1). As demandas de ser um discípulo é grande, mas Deus não exige de nós algo que não temos capacidade de fazer. Sem Deus, você é incapaz, mas com Deus, no entanto, você pode fazer todas as coisas. (Filipenses 4:13)

 

CONCLUSÃO: Se você já se sentiu tentado a sair e abandonar o Senhor, faça-se a mesma pergunta que Simão Pedro perguntou: Onde mais você vai encontrar a verdade final? Quem mais pode garantir-lhe a vida eterna e realização?
Você é um discípulo de Jesus Cristo? Ele é a pessoa mais importante em sua vida? Se não, você está perdendo uma vida de plenitude em Deus. Você já considerou o custo do discipulado, bem como suas recompensas? Se você fizer isso, você vai concluir que o caminho do discipulado não é um caminho; é o caminho. Queira Deus que possamos nos tornar Seus discípulos por Sua graça.

 

 

###################################################################################################

 

 

TEMA: UM CORAÇÃO COMPASSIVO

 

TEXTO: Marcos 6:34-44

Textos complementares: Jo 4:31-34; Lc 10:25-37; Mc 6:31; 2 Reis 4:1-7.

 

INTRODUÇÃO: Gostaríamos de observar sobre o que é capaz de fazer um homem, cujo coração esteja totalmente encharcado do amor e da compaixão de Deus.

 

1- Disposição para mudar de planos
O texto bíblico relata que Jesus havia convidado Seus discípulos para um lugar à parte, a fim de que pudessem descansar um pouco. Todos estavam cansados demais, não tendo tempo nem para descansarem direito. Mas quando chegaram do outro lado, a multidão já os esperava ansiosa para ser ministrada por Jesus. Naquele momento, Ele tinha duas opções: manter-se no propósito do descanso, ou atender a multidão. A Bíblia diz que Ele se compadeceu daquela gente, porque os via como ovelhas sem pastor. Então decidiu o que fazer: ministrar às suas necessidades.
Um coração compassivo é capaz de mudar seus planos quando está em jogo o benefício de uma outra pessoa (Jo 4:31-34). Lembramos da parábola do Bom Samaritano que relata que o sacerdote e o levita permaneceram tão rígidos em sua trajetória rumo ao templo, que não quiseram ver o homem caído ao chão. O Bom Samaritano, embora tivesse também seus planos e seu próprio caminho, deixou tudo de lado para atender a uma necessidade maior (Lc 10:25-37).

 

2- Disposição para ver que se pode dar mais um passo.
Quando os discípulos vieram dizer a Jesus que despedisse a multidão por causa do horário avançado, podiam não estar realmente preocupados com o bem-estar do povo, tão somente. Talvez estivessem mais interessados neles próprios, uma vez que já vinham de uma outra jornada sem se alimentarem direito (Mc 6:31). De repente, eles ouvem a frase: “Dai-lhes vós de comer”. Podiam ter pensado assim: “Não temos comida, nem para nós mesmos, como vamos alimentar os outros?”
Será que você já passou pela experiência de ter de oferecer alguma coisa que ainda não tivesse nem para si? Em algumas situações nos sentimos impotentes, sem saber como ajudar. Jesus queria ensinar aos discípulos que eles podiam fazer muito mais do que achavam que podiam. Estavam cansados, exaustos, e procuraram um meio de sair daquela situação. Mas o Senhor os envolveu novamente e eles acabaram tendo uma experiência riquíssima com o Mestre, aprendendo que podiam alimentar multidões. Eles viram que era possível dar mais um passo.

 

3- Disposição de mudar o foco para resolver um problema.
Os discípulos estavam desesperados diante da incumbência recebida de alimentar aquele grande número de pessoas. Onde achariam tanto dinheiro para cumprir aquela tarefa? Jesus, porém, não mantinha o foco da atenção voltado para o que eles não tinham, e sim para o que estava em suas mãos. Ele não perguntou: “de quanto vocês precisam”, mas sim “o quanto vocês têm”. Verificou-se que havia entre eles apenas cinco pães e dois peixes, e com essa quantidade, uma multidão foi alimentada.
Há uma outra passagem bíblica, onde uma viúva pedia ajuda ao profeta para saldar suas dívidas. Ele lhe perguntou: “O que você tem em casa?” Ela respondeu: “Uma botija de azeite”. E com essa botija de azeite, toda a sua dívida foi paga (2 Reis 4:1-7).
É possível que permaneçamos com um problema, porque insistimos em olhar para o que necessitamos ter, ao invés de percebermos o que já temos. Sempre achamos que não temos o suficiente. Precisamos hoje mudar o foco da atenção, se queremos que o pouco venha a se multiplicar, para poder ajudar as pessoas.

 

CONCLUSÃO Precisamos viver de forma planejada e organizada, mas nunca permitir que o nosso coração se torne insensível em face dos problemas dos outros. Devemos ajudar as pessoas a perceberem que elas podem fazer mais do que acham que podem. O foco da nossa atenção deve se voltar para o que já temos em mãos, com o qual Deus poderá fazer um tremendo milagre.
APLICAÇÃO: Faça um levantamento, brevemente, do que você percebe que já tem em mãos, e que poderia disponibilizar para o progresso do Evangelho. Talvez Deus lhe revele uma habilidade especial, um talento, uma idéia, um sonho, um bem material, etc. Ele pode falar ao seu coração de várias formas. Esteja aberto para a Sua ministração.

 

 

Print Friendly
Compartilhe com seus amigos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Busca na Bíblia
Patrocinadores

Voltar ao Topo