Fortaleza -

TEMAS DAS CÉLULAS – MÊS DE MARÇO 2019

” Não há nada que nos leve a ficarmos mais próximos de Deus

do que o nosso relacionamento diário”

Pastor Luciano Subirá

 

 

##################################################################################################

TEMA: O QUE VOCÊ TEM FEITO DO SEU TEMPO

 

TEXTO: Êxodo 29:46 – Lucas 13:6-9

 

QUEBRA-GELO: Você acha que tem aproveitado bem o seu tempo?

 

INTRODUÇÃO: Deus criou o homem para se relacionar com ele, mas infelizmente o homem não tem correspondido a Deus, e a desculpa quase sempre é a falta de tempo. No texto de Êxodo 29:46 lemos que Deus tirou o seu povo do Egito (mundo) para viver no meio dele, porém muitos não têm tempo para Deus, vivem sempre ocupados e distraídos com muitos afazeres e consequentemente vivem uma vida improdutiva no Reino de Deus. Nesta noite vamos meditar sobre:

 

03 COISAS QUE TEM ROUBADO NOSSO TEMPO COM DEUS

 

1)  MEDO – Genesis 3:8-10 – Mateus 25:24-25

Adão se escondeu de Deus porque teve medo. Hoje não é diferente, muitos estão vivendo longe de Deus porque tem medo de se comprometer com Ele; medo de viver o que Deus tem preparado; medo de viver novas oportunidades; medo de usar os talentos que Deus confiou. O resultado de tudo isso é que vivem uma vida inteira perdendo tempo, sendo improdutível.

PERGUNTA: Em sua opinião, como vencer o medo?

 

2) USO DA TECNOLOGIA EM EXCESSO – Provérbios 12:11 Quem cultiva a sua terra tem comida de fartura; mas quem gasta tempo com coisas sem importância não tem juízo.

A tecnologia deveria ser uma benção na vida do homem devido a agilidade e comodidade que nos oferecem em várias tarefas, mas infelizmente o diabo tem usado a tecnologia para escravizar o homem. TV’s, celulares, jogos eletrônicos, redes sociais, aplicativos, são ferramentas que o diabo tem usado para roubar nosso tempo com Deus e também nossa comunhão com a família e pessoas que amamos.

PERGUNTA: Em sua opinião, qual o segredo para não sermos escravizados pela tecnologia?

 

3) BENS MATERIAIS – 1 Timóteo 6:10

A ganância por bens matérias e posição, também tem roubado nosso tempo com Deus. Hoje vemos muitas pessoas se acabando no trabalho e com isso não tem tempo para Deus nem para família. Como o texto de Timóteo diz, são pessoas que estão se afligindo a si mesmas com muitos sofrimentos. Com certeza Deus tem prazer em nosso trabalho e conquistas, mas quando essas coisas nos escravizam, precisamos voltar a Deus.

PERGUNTA: Considerando todo o contexto deste estudo, como investir melhor o nosso tempo?

 

CONCLUSÃO: As nossas escolhas decidem o nosso futuro, por isso vamos escolher investir nosso tempo na presença de Deus e também desfrutando mais tempo com nossas famílias. Lembre-se: 2019 ano de romper os limites!!!!

 

 

 

##################################################################################################

 

 

 

 

TEMA:  VENCENDO NOSSAS GUERRAS

 

TEXTO: João 16:33

“Tenho-vos dito estas coisas, para que em mim tenhais paz. No mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo”.

 

INTRODUÇÃO: Nessa passagem, Jesus estava falando, não às multidões, mas diretamente aos discípulos. Ele estava passando por momentos difíceis, sendo perseguido pelas autoridades da época e prestes a ser preso. Ele estava tentando consolar os discípulos, antecipadamente, pelo que ainda viria a acontecer: Sua crucificação e morte. O que Jesus mais queria era que eles tivessem o entendimento da Sua missão: salvar a humanidade através do Seu sacrifício na Cruz do Calvário e que eles continuariam a caminhada sem Ele. A dificuldade que os discípulos tinham em entender o que Jesus dizia, deixava-o um tanto apreensivo. Devido a essa situação, Jesus instruía os Seus discípulos, tranquilizando-os e pedindo para que tivessem bom ânimo. Mas, o que significa ter bom ânimo?

 

1.  TENDE BOM ÂNIMO

Ter bom ânimo é não desanimar. Mas vai além disso. Ter bom ânimo é saber que, mesmo em meio às maiores dificuldades, podemos confiar em Deus de maneira plena e absoluta. Pode parecer difícil, mas Jesus garantiu que seríamos mais que vencedores, pois Ele mesmo já havia vencido, antes de nós, todas as aflições existentes no mundo. Por isso, não podemos olhar para trás, nem abaixar a cabeça frente às lutas que surgem pelo nosso caminho, pois quem está conosco é simplesmente o Todo-Poderoso. O que precisamos é ter tranquilidade a fim de encontrarmos oportunidades de soluções dentro das adversidades. Essa pode não ser uma tarefa fácil, mas, com certeza, é algo possível.

 

2.  NO MUNDO TEREIS AFLIÇÕES

Não estamos livres de passarmos por adversidades e tentações, porém, o Senhor, na Sua infinita misericórdia, nos dá o escape em todas elas. O que faz toda a diferença. Para entendermos o que significa isso, é necessário termos em mente que paz não é ausência de conflitos, mas sim continuarmos convictos de que, apesar das muitas lutas, Deus sempre estará conosco. Aí é que encontramos a motivação de sentirmos paz em meio às nossas guerras. Assim nos diz a Palavra de Deus: “Não vos sobreveio tentação que não fosse humana; mas Deus é fiel e não permitirá que sejais tentados além das vossas forças; pelo contrário, juntamente com a tentação vos proverá livramento, de sorte que a possais suportar” (1Co 10:13).

 

CONCLUSÃO

As adversidades fazem parte da vida e podem ser consideradas como oportunidades de conhecermos melhor a nós mesmos, o potencial que temos em Deus, as pessoas, o sistema do mundo com sua malignidade e, principalmente, o poder de Deus a quem servimos.

 

 

 

##################################################################################################

 

 

 

 

TEMA: O FILHO QUE FICOU EM CASA

 

TEXTO: Lucas 15:25-32

 

INTRODUÇÃO: Jesus conta uma parábola visando confrontar os escribas e fariseus que o condenavam por receber pecadores e comer com eles.

Nós, cristãos, estamos sujeitos a cometer três graves erros:

1. Negar a prática do perdão como ensinado pelo nosso Senhor.

2. Murmurar contra o Pai, a exemplo dos judeus no Êxodo.

3. Deixar-se envaidecer a ponto de não mais reconhecer seus próprios erros.

 

Jesus contou esta história querendo que um grupo de ouvintes seus se identificasse com este homem “certo” aos seus olhos, porém errado aos olhos do Pai Celestial.

 

1. ERROU AO ACUSAR O SEU IRMÃO.

 

“Vindo, porém, esse teu filho, que desperdiçou os teus bens com meretrizes, tu mandaste matar para ele o novilho cevado” (v.30).

 

Este irmão mais velho errava quando ao julgar seu irmão.

- Nem o considerava mais como tal.

- Condenava-o como um perdido.

- Ele não conseguiu dimensionar o resultado da experiência de seu irmão.

- O Pai viu corretamente: “Entretanto, era preciso que nos regozijássemos e nos alegrássemos, porque esse teu irmão estava morto e reviveu, estava perdido e foi achado” (v.32).

- Aprendemos com o nosso Pai a misericórdia. Que seria de Moisés, Davi e Pedro, por exemplo, se nosso Deus não fosse misericordioso e perdoador?

- Erramos gravemente se não aprendemos a distinguir um pecador perdido de um pecador remido – “Então, Pedro, aproximando-se, lhe perguntou: Senhor, até quantas vezes meu irmão pecará contra mim, que eu lhe perdoe? Até sete vezes? Respondeu-lhe Jesus: Não te digo que até sete vezes, mas até setenta vezes sete” (Mt 18.21, 22).

 

2. ERROU AO ACUSAR O SEU PAI.

 

“Ele se indignou e não queria entrar; saindo, porém, o pai, procurava conciliá-lo. Mas ele respondeu a seu pai: Há tantos anos que te sirvo sem jamais transgredir uma ordem tua, e nunca me deste um cabrito sequer para alegrar-me com os meus amigos” (vs.28, 29).

 

Errou ao murmurar contra seu pai.

- Ele reclamava de ser alvo de um tratamento desigual.

- Sentia-se injustiçado.

- O pai respondeu, mostrando-lhe a verdade: “Meu filho, tu sempre estas comigo; tudo o que é meu é teu” (v.31).

 

No Antigo Testamento murmuraram contra Deus no deserto, duvidando se Javé estaria mesmo presente e se ele realmente cumpriria suas promessas. A Bíblia também alerta para o fato de que nós, o rebanho de Jesus, continuamos correndo o risco de errar no tocante à murmuração contra nosso Pai – “Nem murmureis, como alguns deles murmuraram e foram destruídos pelo exterminador. Estas coisas lhes sobrevieram como exemplos e foram escritas para advertência nossa, de nós outros sobre quem os fins dos séculos têm chegado” (1 Co 10.10, 11).

 

3. ERROU AO ACUSAR A SI MESMO.

 

“Mas ele respondeu a seu pai: Há tantos anos que te sirvo sem jamais transgredir uma ordem tua, e nunca me deste um cabrito sequer para alegrar-me com os meus amigos” (v.29).

 

- O irmão parece gêmeo do “Jovem Rico” da parábola em Lucas 18.18-23.

- Ele se julgava perfeito, sem erros. E este falso censo de justiça própria é terrivelmente danoso.

O terceiro erro deste homem que se julgava certo.

- Dispensou a humildade. A soberba é a avenida para o desastre (Pv.16.18).

- Os grandes homens de Deus foram todos humildes (Moisés: Ex 3.11; Gideão: Jz 6.14, 15; Jeremias: Jr 1.5; Pedro em Lucas 5).

 

CONCLUSÃO: Estes foram os três erros do homem que se julgava absolutamente certo.

Sua comunhão está rompida com algum outro irmão e você tem se negado a liberar perdão? Talvez você esteja envolvido no pecado da murmuração: Tem duvidado da fidelidade do Senhor. Tem se esquecido de que os méritos da sua salvação advêm do sangue do Cordeiro. Então ore agora e peça ao Espírito Santo para purifica-lo. Esteja livre destes erros.

 

 

 

 

 

Print Friendly
Compartilhe com seus amigos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Busca na Bíblia
Patrocinadores

Voltar ao Topo